Fotos barco grand celebration

Закрыть ... [X]

grand Chicago – Windy City, cidade do vento como é conhecida.  É a maior cidade do Estado do Illinois com mais de 9 milhões de habitantes, contados os subúrbios, com habitantes de todas as línguas.

Diz a lenda que uma vaca deu uma patada num lampião em 1871, dando início a um grande incêndio que tomou a cidade e em 36 horas todo o centro tinha sido destruído com 18 mil edifícios queimados, 100 mil pessoas desabrigadas e 300 mortos.  Um horror.  Dessa feita, originou-se uma ânsia pela construção cultural e arquitetônica, responsável pelo que se vê na cidade atualemnte.

Fomos a Chicago no início de julho/2012.  Pleno verão, sol a pino.  Na verdade, eu não vi o vento.  Aliás, achei que estava em alguma região africana, considerando o sol e o bafo calorento…..

Mas eu amei essa cidade!!!!  Tal qual New York!!!  Que coisa…….

Chicago também tem espírito cosmopolita.  Mistura tudo, tem de tudo, se faz de tudo.  Acho que só perde para a Big Apple se considerarmos os shows da Broadway.  Mas, como euzinha, não frenquentei a Broadway, como vocês já viram no post de Nova York, ficou difícil eleger a melhor.  No quesito moda, sim!  Eleita New York!!!! De resto, tenho que tirar no palitinho.

Nosso roteiro foi assim:

1º dia.

Voamos para Chicago de “first class”, olha que chique!!!  De milhas, é lógico, compramos um transfer (ida/volta) pela Go Airport – site:.  Muito bom, sem reclamações. Não é muito barato, mas valeu a pena, considerando que estávamos em bicas por conta do calor.  Fizemos um compartilhado na ida e um privado na volta ao aeroporto.  O compartilhado foi ótimo porque tinha apenas uma família de 4 pessoas na van e a minha de 3.  Então, só fizemos uma parada.

Esse transfer também pode ser adquirido no aeroporto quando do desembarque.  É muito tranqüilo e rápido.  Nós compramos pela internet.

Na volta, optamos pelo transfer privativo porque no dia de ir embora eu fico meio desorientada e sempre acho que vou perder o vôo!!!!

Chegamos ao nosso hotel – Avenue Crowne Plaza, na Huron St. (compramos pela e não tenho um pingo de reclamação tanto do site quanto do hotel). Não pudemos fazer check in de cara, por conta do horário (chegamos pela manhã), nos trocamos e eles guardaram nossas malas direitinho……

Saímos para conhecer os arredores do nosso hotel.  A cidade é grande, genial!!!!  Saímos pela Magnificent Mile e fomos para o Water Tower Place, pertinho do hotel.  No caminho, vimos que a grandiosidade da cidade (em todos os sentidos), a limpeza e a organização.  Tudo florido!!!!

Water Tower, um dos prédios mais antigos da cidade

O Water Tower Place é um shopping bem bacana, com várias lojas.  Aliás, a Michigan Avenue é um conclomerado de lojas e de shoppings – coisa de louco!!!!  Almoçamos por lá mesmo, fizemos umas comprinhas e fomos ao hotel fazer o check in.  Claro que no caminho de ida e volta, enroscamos numas lojas, nas floreiras para fotos…  Afinal, estávamos nos Estados Unidos!!!

Parada obrigatória loja da Lego

Check in feito, fomos à pé até o Navy Pier para explorá-lo. Assim, continuamos pela Michigan Avenue, sentido oposto ao WTP.  Passamos por outras inúmeras lojas, todas abertas, ótimo, chegamos no prédio do Tribune Tower ao lado do Chicago River.  Duas paisagens muito bonitas da cidade.

O Tribune Tower tem estilo neogótico e abriga o jornal Chicago Tribune.  Na parede externa do prédio há várias rochas incrustadas.  Maravilhosas.

Ficamos na ponte – Michigan Avenue Bridge vendo as lanchas passarem, os barcos dos tours, tudo muito lindo.

Chicago River

Torre do Tribune Tower ao fundo, o Navy Pier

Aí, seguimos para o Navy Píer.

O Navy Pier é um lugar lindo. Foi construído no início de 1900 para ser um terminal de carga e passageiros, base de treinamento naval e depois se tornou uma grade atração turística.  No pier há bons restaurantes, uma praça de alimentação enorme com muita variedade, vários quiosques de alimentação e entretenimento, museus, saída de tours pelo Lago Michigan e de bicicleta, parquinho com roda gigante, mini golf e uma vista magnífica da cidade.

Fomos direto passear, de dia, ainda, na roda gigante, para termos a vista da cidade.  Deslumbrante, claro!!!   Chicago tem isso.  Vista!!!  O lago é divino.  Vocês verão……

Depois os meninos jogaram mini golf e por fim jantamos no Bubba Gump.  Delicioso como sempre, boa comida, divertido, rápido.

Depois, voltamos para o hotel de taxi.

O site do navy píer é: 

Lago Michigan visto da roda gigante

2º Dia

Após o café da manhã, no velho, bom e querido Starbuck’s Café, fomos para o Shedd Aquarium.  Fomos de taxi.  Chegando lá, enquanto o maridão trocava o voucher do Citypass (sim, compramos um Citypass pela internet e valeu muito a pena), eu e meu filho saímos pela porta principal, para tirar fotos e nos deparamos com uma vista maravilhosa de Chicago,  muito mais que qualquer vista……

Chicago – vista das escadas do Shedd Aquarium

O aquário é o maior coberto do mundo com mais de 8 mil espécies.  É lindo e muito interessante.  Muita variedade, muitos habitats, bem diversificado.  A única coisa que achei mais chatinha é o Show Aquático, que é muito recomendado em vários guias.  Quando você pensa em show aquático, logo se lembra dos shows do Sea World, das baleias e dos golfinhos.  Não é nada disso……  No show eles explicam como os animais se comportam, como aprendem a fazer algumas coisas, algumas manobras (como aprender a deixar de serem selvagens) e fim.

Estava passando no cimena 4D “A Era do Gelo” – muito bacana e havia, também, a exposição das águas vivas, divulgada por toda a cidade.  Eu adorei!!

Em 3 horas, no máximo, dá para fazer o aquário, vendo, inclusive, todas as partes do ingresso do Citypass que te dá direito a todas as atividades/mostras do aquário.  Os banheiros são limpissimos, há restaurantes, máquinas de sucos/água/refrigerantes e tudo muito bem sinalizado.

O site do Shedd Aquarium é:

Shedd Aquarium

Saímos de lá e fomos de “water taxi” para o Navy Pier almoçar, porque na sequência, tínhamos o Cruzeiro Arquitetura da Shoreline que compramos pela internet no site:.

Nesse dia, almoçamos no Capi’s Italian Kitchen.  Um restaurante bem simples e diferente.  Você entra, pede a comida, paga, pega a bebida e vai para uma das mesas.  Depois, eles levam a comida e fim.  Gostei bastante.  A especialidade é comida italiana e de ótimo sabor.

Após o almoço, seguimos para o cruzeiro pelo Chicago River que é bem bacana.  O barco é grande, bem equipado, tem bar para venda de bebidas e um locutor que vai te contando toda a história da cidade e como, quem, quando os prédios grandiosos foram construídos.  Tudo é muito!!!!!  Muito grande, muito alto e muito bonito.  Nosso tour demorou 60 minutos, mas como fizemos às 16 hs, o sol já estava mais calmo e foi muito proveitoso. Durante o trajeto você cruza com outras embarcações, tanto de tours pelo rio como de lanchas de quem está em férias, à passeio.  Aliás, eu adorei um dos prédios em que a garagem toda é guarnecida pelas lanchas dos moradores.  Um “must”.

Prédios monumentais visto no tour “Arquitetura” Willis Tower (centro) Edifício com garagem para barcos Esse jato d’água no Chicago River representa a junção do norte com o sul da cidade

Terminado, fomos de taxi em direção ao John Hancook Center o gigante de aço.  Com mais de 300 metros de altura, foi construída em 1969.

Como tínhamos o Citypass fomos direto, sem fila para o 94º andar apreciar a linda vista da cidade.

O site do John Hacook Center é:

Voltamos para o hotel, que era ao lado e nos preparamos para jantar.  Fomos ao Rainforest Café.  Tal qual o de Orlando, bom atendimento, comidinha gostosa e animado.  Após o jantar fomos de volta para o hotel dormir!!!!

3º Dia

Deixamos esse dia para as compras.  Decidimos ir ao Outlet de Aurora.

Primeira missão – alugar o carro, já que não tinhamos feito a reserva pela internet.  Tudo é fácil, fora de temporada, é claro.  Chegamos na Hertz e eles estavam “sold out”, quer dizer, sem NADA!!!!  Nenhum carro disponível.   Lá mesmo nos indicaram outras locadoras, localizadas mais para o centro da cidade, no The Loop.  Fomos à pé, porque também eram acessíveis, alugamos o carro e saímos em direção às compras.

Segunda missão – as compras.  Quem conhece compras em Orlando, Miami e New York vai achar que as compras nesse outlet são meio fraquinhas.  Acho que os modelitos, as estampas…..  Alguma coisa era diferente…..  Não conseguia gostar de nada!!! KKKKKKK  Que pena…..  Mas o maridão e o filho em compensação, compraram por mim.

O outlet é da rede Premium e igual a todos os outros, com suas promoções, praça de alimentação, estacionamento…. tudo igualzinho.

Saímos do outlet e fomos para o Walmart que era ao lado, fazer nossas comprinhas básicas.

Voltamos, colocamos as coisas no hotel, devolvemos o carro, uma vez que para dormir no estacionamento do hotel, teríamos que pagar a bagatela de US$ 50.

Jantamos pertinho do hotel, no TGI Friday’s.

3º Dia

Dia de Museu – The Field Museum.  Sem palavras para descrever esse museu de história natural.  Tão bom quanto o de Nova York, reservamos 3 horas para visitá-lo.  Tem cinema, apresentações especiais e sazonais e vimos tudo.

O Museu é muito organizado, bem sinalizado, banheiros limpos e dentro dele há uma Corner Bakery que dá, sossegado, para fazer um bom almocinho leve.

O site do museu é:

The Field Museum

Saímos de lá, passamos no hotel para trocar de roupa e fomos para a praia.  Acreditem, à beira do Lago Michigan, há praias.  Fomos na Ohio Street Beach.  Um piscinão, perdoem-me.  Mas era engraçado, porque a temperatura estava em 38ºC e as pessoas se protegendo do sol com sombrinha, estava cômico, mas o lago estava cheio de barcos e de pessoas.  A areia quente, mas tão quente que aquecia até os chinelos  Todos  tomando sol e brincando na água.  Nosso filho se esbaldou, fez até castelo de areia.  Mas, como estava muito calor, ficamos pouco, tomamos uma cerveja no Caffe Oliva at Ohio Street Beach e voltamos para o hotel.  Fizemos o trajeto à pé e nesse meio tempo, exploramos um pouco mais as redondezas do nosso hotel.

Como era dia 4 de julho, sabíamos que haveria show de fogos, perguntamos ao policial o horário e o local e tratamos de jantar…..

Tentamos o Joe’s Seafood, mas como não tínhamos reserva, nada feito.  Fomos, então, ao badalado Smith & Wollesnky.  Fino!!!!  Comida ótima, um pouco cara, mas não posso dizer que não valeu à pena.  Comemos às margens do Chicago River, vendo as embarcações passando, aquela brisa gostosa (nesse dia, tinha um pouquinho de vento)…..  Vimos, inclusive, a balsa com os fogos passando por lá, sentido lago Michigan.  Foi ótimo.

O site do restaurante é:

Vista que tnhamos durante o jantar!!!

De lá, fomos direto para o Navy Pier ver os fogos.  Chegamos às 8:30hs e o show seria às 9:00hs, ao escurecer.  Sim, às 8:30hs ainda estava dia!!!!    Sentamos numa calçada, à beira do Lago Michigam e aguardamos.  O show foi muito bonito, eles são muito patriotas e pontuais.  Ao final, todos saíram organizadamente e foram para casa.  O organizadamente é na acepção da palavra.  Fiquei bege!!!!  Considerando a multidão, tivemos que voltar à pé para o hotel…..

4º Dia –

Saímos logo cedo para o Planetário – Adler Planetarium.

O lugar tem uma vista divina, pois fica à beira do Lago Michigan, também.  Muito interessante, explicativo, aliás, um dos lugares em que tivemos que parar para ler e relembrar muita coisa.  Talvez porque o sistema solar seja muito complexo, ficamos a maior parte de nossa visita nessa parte.

A parte das lunetas e telescópios é muito bacana.  Você vê quando, quem, onde foi criado o primeiro telescópio e você pode interagir com algumas peças e visuais.

O site do Adler Planetarium é:

Adler Planetarium Lago Michigan das escadas do planetário

Saímos de lá, direto para o Skydeck ou Willis Tower ou Sears Tower, como quiser.  Outro prédio altíssimo da cidade que tem uma vista deslumbrante, com mais 441 metros de altura.  Quem leu meu post de NY entende agora o que eu disse sobre subir nas torres!!!!

A vista é inenarrável novamente.  Linda!!!!  Ainda mais para quem gosta de altura e aventura.  Nesse prédio, existem alguns balcões, todos em vidro, para fora do prédio mesmo, simulando uma sacada, onde você, ao colocar os pés vê o chão!!!!  Literalmente.  Eu amei!

O site do Skydeck é:  

Willis Tower

Vista do Lago Michigan do 103º andar e a vista da Buckingham Foutain

Saímos de lá e fomo almoçar no Joe’s Seafood.  O restaurante é bem bacana.  Já tinhamos tentado jantar por lá no dia anterior, como já citei, mas não tinhamos reserva.  Enquanto estávamos no Skydeck fiz uma reserva, pela internet, para 30 minutos depois e deu tudo certo.  Comida boa, ambiente agradável e claro, vinhos ótimos e preço razoável, considerando o tamanho dos pratos e a unanimidade dos meninos – Carne!

O site do Joe’s é:

Depois do almoço, fomos passear pela State Street e pela Magnificent Mile, região de compras.

Na sequência, após o sol baixar um pouco a atendendo aos pedidos de nosso filhão, de volta ao Navy Píer, alugamos uma bicicleta para pedalar pela Lake Shore.  Foi uma delícia.  Nos divertimos bastante passeando à beira do lago.

Depois do passeio de bike, continuamos nossas andanças.  Passeando pela Mag Mile, em frente a Water Tower, encontramos uma igreja presbiteriana linda, antiguinha, com um jardim interno de arregalar os olhos, considerando o lugar onde está encravada.  Divino!!!!!

À noite, fomos ao Hard Rock Café, mas por conta de um show muitíssimo barulhento abdicamos do jantar no local.  Ali, nas imediações, há Uno Pizza (deep pizza), Portillo’s onde há o Blad Dog – comidinhas meio típicas de Chicago, mas também abdicamos.  Quando olhamos a pizza, o calor nos invadiu e desistimos.  Fomos de volta ao velho e bom Rainforest que ficava na rua de trás.

5º Dia –

Saída animada para o Zoo, após o café da manhã, localizado no Lincoln Park, gratuíto e ótimo.

Site:

Esse zoológico começou a ser formado em meados de 1860 com dois cisnes que vieram do Central Park, em NY.

Atualmente abriga mais de 1.000 animais e 200 espécies.

Munidos de nosso mapinha, fizemos todas as partes do zoológico.  Vimos tigres de bengala, girafas, leões, pingüins, pássaros, urso polar.

As estimadas 3 horas de visita foram cumpridas e saímos de lá para almoçar no The Cheesecake Factory, que fica no prédio do John Hancook Center.  Como sempre muito bom!!!!

De lá, fomos para o Millennium Park e Grant Park.  Muitas pessoas começam seus roteiros por essa parte, mas nós decidimos terminar a viagem por lá, porque passávamos de taxi e achamos tudo tão grandioso, tão lindo, que decidimos deixar para o grand finale!!!!

Millennium Park

The Bean at AT&T Plaza Cloud Gate Great Lawn e ao fundo Jaz Pritzker Pavilion Buckingham Foutain Pórtico da Chicago Exchange Jardins do Grant Park

Chegamos primeiro ao Millennium Park – McCormick Tribune Plaza, onde no inverno vira um rink de patinação no gelo.  Fomos até o Cloud Gate para fotos – o feijão, a parte mais visitada desse parque.  De lá, demos uma geral no parque, vendo o Great Lawn – espaço gramado para assistir aos shows que ocorrem no Jay Pritzker Pavilion e fomos para o Grant Park, pela Nichols Bridgeway que dá acesso ao Instituto de Arte de Chicago (considerado o melhor museu de arte dos Estados Unidos), em frente à rua onde começa a Route 66, para os mais afixionados em “motorcicles”……, a vista é maravilhosa e quando chegamos ao Grant, o que queriamos ver, de verdade, era a Buckingham  Fountain, uma chafariz grandioso que tem toda uma história – foi construído em 1927 tendo como modelo a Fonte Latona de Versailles.  É enorme, gigante mesmo, todo em mármore rosa e tem quatro cavalos marinhos que simbolizam os estados que cercam o Lago Michigan.  Acho que o mais alto que já vi na vida e lindo!!!!

Voltando pela sombra, achamos o arco da Chicago Exchange e voltamos para o Millennium, passamos pelo The Laurie Garden, para levar o filhão e conhecer a Crown Fountain, outro mais ou menos piscinão de Chicago.  Muita água, muita gente e muita diversão.  Estávamos meio estáticos por conta do calor e com os pés meio cozinhando. Quando não agüentávamos mais o calor, pegamos um taxi e vimos que a temperatura àquela hora, umas 16:30hs estava em 44ºC.   Fomos para o shopping e depois de volta para o hotel, porque tínhamos a apresentação do Circo de Shangai para assistir.

Mais informações sobre esses parques e outras atrações de Chicago podem ser obtidas no site:

Jantamos na praça de alimentação do Navy Píer.  Comemos um cachorro quente da Americas Dog, cotado como o nº 1 em Chicago.

À noite, fomos assistir ao Circo de Shangai, no Pepsy Skyline Stage do Navy Pier.  O show foi ótimo, exceto o local, que estava infestado de aranhas.  Daquelas pequeninas, que a mordida dói horrores.  Vimos metade do show em pé, mas valeu à pena.  Eu e meu marido já conhecíamos o espetáculo e o pequeno, pela primeira vez, adorou.

Saindo do show fomos passear pela roda gigante, para vermos a cidade às escuras, apenas com as luzes dos prédios, da cidade e da lua, dando adeus a essa cidade tão bacana das nossas tão queridas férias!!!!

Vista da cidade, no Navy Pier, na roda gigante. Adoramos!!!!!

6ª Dia –

Bora para Washington!!!!

A van veio nos buscar no hotel, no horário marcado, logo cedo, rumo ao aeroporto para pegarmos o nosso vôo, ainda pela manhã, direto para D.C., continuação das férias.

No meu roteiro constava que iríamos passear de “double decker” para uma visão 360º de Chicago, mas aos 40ºC e sol à pino até pelo menos 18/18:30 hs, desistimos e preferimos ficar em locais onde poderíamos nos refrescar com o ar condicionado.  Eu sei que perdemos muito, mas tem horas que você tem que fazer opções, que te levam a algumas renúncias…..  Mas um dia eu vou voltar e então, não me preocupei tanto assim!!!!!  Afinal, adoramos Chicago, e ela ainda está na lista de roteiros.





ШОКИРУЮЩИЕ НОВОСТИ



Related News


Fotos de cabelos femininos curtos
Cual es la reaccion general de la fotosintesis
Como unir 2 fotos en 1
Fotos billig entwickeln vergleich
Fotos dedicadas a la mujer
Fotos de pinguino emperador